De acordo com o levantamento feito pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 59,6% das famílias brasileiras estão endividadas. Realmente, várias pessoas estão com dívidas e nem sempre é fácil se livrar delas. Existem várias causas para esse problema, como compras por impulso ou no cartão de crédito e até mesmo com estados e municípios. Diante disso, muita gente se pergunta: como financiar um imóvel com nome sujo?

Caso tenha dívidas pendentes, você só conseguirá financiar a casa se usar o programa Minha Casa Minha Vida e se tiver uma renda familiar bruta de até R$1.800. Sem dúvida, há muitas burocracias na compra de um apartamento e elas dificultam a aquisição do bem para várias pessoas.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste post, apresentaremos as principais restrições e abordaremos soluções que ajudarão você a solucionar esse problema e realizar o seu sonho de ter um imóvel próprio. Acompanhe!

Quais são as restrições?

As restrições de compra de um imóvel não estão relacionadas apenas com o fato de o interessado estar com dívidas ou não. Por isso, apresentaremos abaixo os principais motivos que impedem alguém de comprar apartamento com nome sujo. Continue lendo!

SPC e Serasa

As pessoas que estão com dívidas e cadastradas no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e Serasa têm restrições de crédito, ou seja, tendem a ter dificuldades para fazer compras a prazo. Isso não é um bom negócio para quem deseja fazer um financiamento, concorda?

Os credores costumam consultar esse cadastro com intenção de saber a situação do cliente — se ele cumpre os compromissos ou se ele é inadimplente — e oferecer ou não crédito ao consumidor. Vale lembrar de que você pode consultar gratuitamente se o seu nome consta no Serasa por meio do site do órgão.

Banco Central

Caso tenha passado cheques sem fundos mais de uma vez (mesmo sem intenção), o seu nome pode constar no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF). Nessa situação, as instituições financeiras podem verificar essa informação, o que pode dificultar o financiamento.

Receita Federal e INSS

Isso pode ocorrer quando você deixa de pagar algum tributo — seja ele estadual, federal ou municipal —, tem problemas na declaração de Imposto de Renda, apresenta problemas cadastrais no CPF ou quando há irregularidades na documentação do imóvel — por exemplo, se falta a escritura, se o dono do apartamento não pagou o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) etc.

Como resolver a situação?

Caso a restrição seja em relação ao Banco Central, será necessário levar o cheque que foi a causa da inclusão no CCF e pedir a exclusão desse cadastro. Se o problema é com os órgãos de crédito como Serasa e SPC, você terá que verificar o motivo da restrição.

O cadastro pode registrar mais de uma dívida e todas elas precisam ser negociadas e pagas para limpar o seu nome. Vale lembrar de que é possível regularizar a situação por meio de sites que possibilitam a quitação de dívidas online.

Por fim, se o seu problema é com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ou com a Receita Federal, procure imediatamente esses órgãos para verificar e resolver a situação diretamente com eles. Como pode-se perceber, é possível comprar apartamento com nome sujo, mas isso não é fácil. Portanto, a melhor opção é resolver todas as pendências antes de tentar comprar um imóvel.

Levando esse fato em consideração, preparamos algumas dicas para ajudar você nessa tarefa. Portanto, continue a leitura e descubra o caminho mais prático para quitar suas dívidas e assim limpar seu nome.

Dê prioridade às dívidas mais caras

Embora todas as formas de parcelamento, sejam elas relacionadas a uma compra no cartão de crédito ou ao pagamento de um empréstimo, estejam sujeitas a taxas de juros, essa taxa tende a variar de acordo com o tipo de crédito.

O cheque especial, por exemplo, impõe ao mutuário uma taxa de juros muito mais elevada que a cobrada por um empréstimo pessoal. Por esse motivo, é interessante que a pessoa endividada avalie seus débitos e dê prioridade às pendências mais caras. Afinal, elas são a principal fonte de prejuízo.

Renegocie com a instituição financeira

A prioridade de uma instituição financeira é receber de volta os recursos que emprestou, para que mais uma vez seja capaz de utilizá-los para auferir lucro. Por esse motivo, via de regra, elas estão mais que dispostas a renegociar suas condições, oferecendo financiamentos e taxas de juros mais amigáveis. Cabe ao mutuário entrar em contato e dar início a uma negociação que seja benéfica para os dois lados.

Tente um novo empréstimo para quitar os antigos

Embora a renegociação de dívidas seja uma estratégia interessante, nem sempre ela é possível. Frente a essa situação, recorrer a um novo empréstimo, que cobre uma taxa menor de juros, pode ser a melhor opção.

Antes de tomar essa decisão, porém, o mutuário precisa confirmar se, de fato, o novo empréstimo é mais barato que seus débitos atuais e que ele tem as condições de arcar mensalmente com suas parcelas.

Afinal, como financiar um imóvel com nome sujo?

Pagar todas as dívidas e só então procurar por uma forma de crédito costuma ser a estratégia mais eficiente e econômica. Apesar desse fato, nem sempre as pessoas podem esperar chegar a um ponto em que suas finanças estão organizadas para ter acesso a uma casa ou apartamento. Nesse contexto, saber como financiar um imóvel com nome sujo é necessário.

Dentre as opções disponíveis para esse tipo de financiamento, o programa Minha Casa Minha Vida, criado pelo Governo Federal, costuma ser a mais acessível. É importante ressaltar, porém, que essa opção só está disponível para pessoas que se enquadrem na primeira faixa do programa.

As faixas em questão são divididas da seguinte forma:

  • faixa 1 — faturamento mensal de até 1.800 reais;
  • faixa 1,2 — faturamento mensal de até 2.600 reais;
  • faixa 2 — faturamento mensal de até 4.000 reais;
  • faixa 3 — faturamento mensal de até 9.000 reais.

Na faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida, a maior parte do pagamento do imóvel, um percentual superior aos 90%, é pago pelo próprio Governo Federal, isso por meio de uma série de subsídios. Por esse motivo, nenhuma verificação de crédito é feita para pessoas que se enquadram nessa faixa.

Além disso, os participantes do programa que se enquadram na faixa 1 precisam arcar apenas com 5% de seus rendimentos mensais, durante 120 meses, para arcar com as prestações.

Embora financiar um imóvel com nome sujo não seja impossível, deixar dívidas em aberto tende a gerar uma série de problemas para a pessoa. Principalmente em uma situação de emergência, na qual o acesso ao crédito rápido possa se fazer necessário. Considerando esses fatos, a decisão de organizar suas finanças e quitar seus débitos é a mais acertada.

Agora que você sabe como financiar um imóvel com nome sujo, aprenda mais sobre os diferentes tipos de crédito!

Sou fundador da Kitei, empresa que fundei em meados de 2016. Atuo na  direção de toda a área comercial, administrativa e financeira no cargo de Diretor Executivo. Tenho mais de 25 anos de experiência no mercado de cobrança e por meio de uma gestão inovadora, continuo a conduzir minha equipe para atuar no mercado financeiro com competitividade.

Escreva um comentário