Quando estamos endividados, muitas vezes, fazemos acordos de pagamento sem planejamento e acabamos tendo dificuldades para manter as parcelas em dia. Seja por falta de dinheiro, imprevistos ou juros abusivos, esse é um problema que pode acontecer com qualquer um.

A grande complicação é que a quebra de acordo de parcelamento pode trazer muitos prejuízos, que não são só financeiros. Você está passando por essa situação? Não se preocupe! É possível fazer um novo acordo com o credor para resolver esse problema. No entanto, tome muito cuidado para que a dívida possa ser realmente quitada.

Pensando nisso, separamos algumas dicas com intuito de livrar, de uma vez por todas, as suas dívidas. Acompanhe este post!

O que é renegociação de dívida?

Principalmente em épocas de crises, perda de emprego, compras compulsivas ou falta de planejamento, é comum as pessoas terem dificuldades para honrar os seus compromissos. Nesse momento, a renegociação de dívidas pode ser uma excelente estratégia para ajudá-lo sair dessa situação. O ideal é que ela seja feita o quanto antes para minimizar as consequências, como a negativação.

Portanto, ela nada mais é que um novo acordo de quitação da dívida inicial, acrescidos os juros, multa, encargos. Além disso, o novo contrato vai estabelecer a forma de pagamento, valores das parcelas e condições gerais. Essa dívida não é ruim, mas é preciso ter controle sobre ela e conseguir de quitar todas as mensalidades, conforme convencionado.

O que fazer em caso de quebra de acordo de parcelamento?

Como visto, é necessário se organizar financeiramente para sair dessa situação o mais rápido possível. Para ajudar você nessa tarefa, separamos algumas dicas de como renegociar a sua dívida. Veja abaixo!

Perda das condições acordadas

Quando uma renegociação não é paga, todas as condições acordadas são perdidas. Isso acontece, pois houve uma quebra de contrato, por isso, perde a validade jurídica. Consequentemente, o credor pode retomar a dívida nos termos anteriores ao acordo e tirar as vantagens concedidas. Além disso, ele pode incluir o nome nos cadastros de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

É muito comum isso ocorrer nos casos do devedor firmar um acordo sem planejamento ou para se livrar das cobranças. Ou ainda, quando ele perde a data do pagamento da primeira parcela. Por isso, é importante analisar bem as condições da negociação antes de sair assinando os contratos. Veja também se as obrigações e parcelas não compromete a saúde financeira.

Análise das reais possibilidades

Esse é o momento de identificar o motivo que deixou de cumprir o acordo, ou seja, o que ocorreu de errado. O valor da parcela estava alto? O prazo deveria ser maior? Com essa informação em mãos, é possível fazer uma projeção de como consegue quitar a dívida. Tente enxergar uma forma que mensalidade caiba tranquilamente no seu orçamento.

Portanto, faça um planejamento financeiro com as despesas fixas e variáveis mensais, além da sua receita. Depois disso, projete por, no mínimo, 12 meses para acompanhar a sazonalidade do ano. Assim, você consegue identificar onde pode economizar e como ter uma renda extra para cumprir o acordo da dívida.

Opção por renegociação da dívida

Agora é o momento de procurar o credor e explicar a sua situação. Mostre claramente o problema que ouve e que o impediu de cumprir o acordo inicial. Além disso, apresente o seu planejamento financeiro. Essa conversa vai mostrar para ele que você não pagou a parcela porque teve realmente um imprevisto e não foi por má-fé.

Faça a contraproposta ao credor mostrando como consegue realmente quitar a dívida. Você pode pedir também um prazo de carência para começar a pagar de novo, algumas instituições aceitam essa condição para não ficar no prejuízo. Outra coisa que deve negociar é a taxa de juros que vai ser cobrada. Por fim, peça um tempo para refletir. Nessa etapa, é preciso ter calma e não fechar uma renegociação na pressão.

Inclusão do nome em cadastros de devedores

É importante conferir se o credor enviou o seu nome para o cadastro de inadimplentes, como Serasa e SPC. Como você não cumpriu o acordo inicial, ele pode colocar o seu CPF nessa lista logo na primeira parcela que não pagou. Geralmente, após a renegociação eles retiram o nome em no máximo 5 dias, sem ônus para o devedor.

Vale ressaltar que renegociar ou quitar a primeira parcela não isenta você do pagamento do restante da dívida. Esse novo acordo gera uma nova obrigação que, se não for cumprida, caracteriza outra quebra de contrato. Consequentemente, o seu nome vai retornar ao cadastro de inadimplentes.

Comprometa-se com o pagamento

É importante não deixar de pagar a renegociação para não ter problemas futuros e não perder as vantagens adquiridas. Lembre-se sempre dos impactos que você pode ter caso haja a quebra de acordo e os benefícios de ficar livre dessa dívida. Além disso, o credor é capaz de não querer parcelar novamente, pois ele pode imaginar que vai ser “enganado” novamente.

Portanto, a melhor maneira de cumpri-la pontualmente é priorizando o pagamento. Confira abaixo algumas dicas que vão ajudar você a não quebrar essa negociação:

  • escolha a data do pagamento a próxima a que você recebe para não correr o risco de gastar o dinheiro;
  • evite fazer outras dívidas durante o cumprimento da renegociação, principalmente a longo prazo. Dessa forma, você evita que seu orçamento de complique e tenha que optar por uma das parcelas;
  • use agenda ou outro lembrete para alertar a data do pagamento, pois, muitas vezes, o não cumprimento do acordo acontece pelo esquecimento e não pela falta de dinheiro;
  • caso a sua situação financeira tenha ficado apertada e acredita que não vai conseguir pagar a dívida, tente cortar outras despesas ou negociar prazo de outro fornecedor;
  • outra opção é ter uma fonte de renda extra. Tente vender livros, roupas ou outros itens que não usa na sua casa para honrar com seu compromisso.

Como pôde perceber, a quebra de acordo de parcelamento traz muitas complicações em sua vida. Então, conte com a ajuda de uma plataforma de quitação de dívidas online para ajudar a resolver a sua situação. Ela vai facilitar as coisas para você! Em poucos cliques, já é possível quitar os seus débitos de forma rápida, simples e nada burocrática.

Quer saber mais sobre a quebra do acordo do parcelamento e tudo o que diz respeito a negociação de dívida? Então, entre em contato conosco que um de nossos especialistas vai sanar todas as suas dúvidas!

Escreva um comentário