A melhor maneira de não cair na tentação de comprar o que não necessita e com o dinheiro que não tem, poderia simplesmente ser resumida em “evite contato com as coisas que você não pode arcar”. No entanto, para ser uma pessoa econômica esse conselho é muito vago, pois não se trata apenas de deixar de ver o que gostaria de ter, consumir, mas sim adquirir disciplina com hábitos prósperos.

Isso envolve avaliar e mudar os pensamentos e comportamentos que levam você a gastar dinheiro sem analisar direito a real necessidade da compra, dentro da sua condição financeira e estilo de vida. Além disso, a facilidade que boa parte dos meios de pagamentos oferecem, como prazo e parcelamento longo, é perigosa para quem se atém apenas ao valor pequeno das parcelas e não considera o valor real com os juros e as demais despesas fixas e variáveis existentes.

Se você não quer correr o risco de se afogar em dívidas, confira a seguir 4 dicas práticas para economizar grana que farão toda a diferença no seu bolso.

1. Poupe o seu dinheiro

A primeira mudança que você deve entender para lidar melhor com o seu dinheiro é saber que não se deve gastar tudo o que recebe. Isso lhe livrará de passar dificuldades em momentos de crises financeiras, contrair dívidas com bancos, demissão de um trabalho e até ajudará a conquistar suas metas e desejos. Para ter estabilidade financeira, um dos passos é poupar de 10% a 30% da sua renda, todos os meses, para construir a sua reserva.

2. Cancele os serviços por assinatura

Acessar milhares de músicas e filmes quando você quiser e sem precisar baixá-los é uma boa ideia para se entreter. Contudo, quando a situação financeira aperta certamente esses itens não são essenciais para a sua vida e você pode substituí-los por outros conteúdos que são liberados, gratuitamente, em outras plataformas. Para ser uma pessoa econômica é preciso observar o quanto é utilizado de cada produto ou serviço pago e, daí, concluir se há ou não custo-benefício.

3. Economize energia elétrica

Um dos grandes gastos que muitas pessoas têm e não percebem é com a conta de energia elétrica. Lâmpadas, televisão, computador, chuveiro elétrico, eletrodomésticos e outros aparelhos elétricos que estejam plugados na tomada (em stand by, sem acionamento) elevam o valor dessa despesa. Reduzir o uso desses itens faz bem para o bolso e para o meio ambiente.

4. Avalie as compras para despensa

Não se trata de deixar de comer bem, significa reduzir a quantidade de alimentos nada saudáveis (industrializados, em geral), não escolher produtos de marca renomada (sendo que há outras tão boas quanto elas) e evitar almoçar ou lanchar sempre que está fora de casa. Preço mais em conta não é sinônimo de má qualidade do produto, portanto pesquise bem antes de ir às compras.

Ser uma pessoa econômica requer, antes de implementar qualquer método, uma mudança de consciência. Avaliar os pensamentos e sentimentos que surgem quando se deseja adquirir é fundamental para controlar os gastos. Nesse momento, ser racional e colocar na ponta do lápis o valor da sua renda mensal versus o seu padrão de vida (itens essenciais para você viver bem) ajudará a distinguir o que é necessário do que é supérfluo.

Gostou das dicas? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a controlarem suas finanças pessoais!

Sou fundador da Kitei, empresa que fundei em meados de 2016. Atuo na  direção de toda a área comercial, administrativa e financeira no cargo de Diretor Executivo. Tenho mais de 25 anos de experiência no mercado de cobrança e por meio de uma gestão inovadora, continuo a conduzir minha equipe para atuar no mercado financeiro com competitividade.

Escreva um comentário