Em algumas situações, especialmente quando as pessoas estão com dificuldades para pagar todas as contas, é comum optar por fazer o pagamento mínimo do cartão de crédito. Dessa forma, evita-se de uma dívida a curto prazo, pois o restante do saldo devedor pode ser parcelado.

Diante disso, essa prática poderia ser uma solução para o problema. No entanto, ela pode gerar muitos problemas financeiros. Isso acontece devido ao efeito dos juros compostos. A dívida cresce rapidamente e, com o passar do tempo, vai ficando cada vez mais difícil de pagá-la, o que leva muita gente à inadimplência. A situação é ainda mais dramática considerando o fato de que as taxas de juros praticadas no crédito são as maiores do país.

Como você percebeu essa prática apresenta muitos riscos e é necessário ficar atento em relação a eles. Pensando nisso, neste artigo explicaremos detalhadamente como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito, quais são as taxas de juros associadas a ele e em quais situações vale a pena optar pelo pagamento mínimo. Acompanhe a seguir.

Como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito?

Não há muitos segredos em relação a essa questão. No pagamento mínimo, a pessoa não quita o valor total da fatura e, sim, faz o pagamento da quantia mínima estipulada pela instituição financeira que concedeu o crédito. Dessa maneira, o restante de dívida será refinanciada no mês seguinte.

Quais são as taxas de juros associadas?

As taxas de juros cobradas no pagamento mínimo do cartão de crédito variam conforme cada instituição financeira. Por isso, vale a pena fazer uma pesquisa nos bancos para buscar melhores condições.

No entanto, na maioria das vezes, as taxas cobradas são elevadas. Há instituições que chegam a cobrar 800% ao ano. Dessa forma, uma simples dívida, pode virar um grande problema em pouco tempo.

Imagine que você já tenha feito o pagamento mínimo e ainda está devendo R$ 500,00. Caso esse banco cobre a taxa mencionada, em apenas um ano, a sua dívida saltará para R$ 4.500,00, ou seja, será multiplicada por nove. Realmente é muita coisa, não é mesmo?

Quando vale a pena fazer o pagamento mínimo?

Considerando as características abordadas neste post, na maioria das vezes, não vale a pena fazer o pagamento mínimo do cartão de crédito. O principal motivo é com relação às altas taxas de juros que são cobradas nessa operação. Essa prática, portanto, deve ser evitada ao máximo.

Somente em algumas ocasiões pode valer a pena fazer o procedimento. Entre elas estão as situações de emergência, nas quais pode ser necessário fazer um pagamento rápido e urgente, e quando não se tem dinheiro suficiente para pagar toda a fatura em um determinado mês.

Mesmo nessas situações há maneiras alternativas de negociar a dívida. O parcelamento e o empréstimo consignado são exemplos de boas opções, pois os juros são reduzidos em relação ao crédito e, por isso, a despesa cresce em um ritmo menor.

O pagamento mínimo do cartão de crédito, devido às altas taxas de juros, deve ser evitado ao máximo, pois pode acarretar sérios problemas financeiros. Procure utilizar isso apenas quando não tiver outra forma de negociar a despesa.

Gostou deste post sobre o pagamento mínimo do cartão de crédito? Curta a nossa página no Facebook e receba mais conteúdos sobre o assunto em primeira mão.

Escreva um comentário