Segundo o Indicador de Confiança do Consumidor (ICC), 73% dos brasileiros tiveram uma queda do padrão de vida após perderem o emprego. Diante disso, o SPC afirma que essa mudança influencia diretamente a vida e a confiança das pessoas. Lidar com essa situação não é fácil, mas é preciso seguir em frente para sair dela o mais rápido possível.

Portanto, tenha em mente que essa situação não é definitiva e, com planejamento, você consegue voltar ao padrão anterior com muito mais sabedoria. Pensando nisso, separamos algumas dicas de como reorganizar a sua vida financeira.

Como diminuir meu padrão de vida?

Faça a adequação do orçamento

Esse momento é trabalhoso, mas é muito importante para você enxergar o que precisa ser mudado. Então, liste todas as suas fontes de receitas e gastos mensais. Coloque o seu salário, ganhos extras, rendimento dos investimentos, entre outras fontes. Faça o mesmo com as despesas e não se esqueça dos almoços fora e das compras supérfluas!

Com essas informações em mãos, você consegue verificar se seus investimentos estão dando o retorno esperado e, se for o caso, realocar seu dinheiro para uma aplicação melhor. Pode procurar novas fontes de renda também, como vender produtos na internet, fazer trabalhos de freelancer, alugar o carro no fim de semana, entre outras.

Além disso, é possível reduzir o consumo de energia e água na sua casa, cortar a TV por assinatura, trocar o plano de internet e telefone, evitar fazer refeições fora ou procurar restaurantes mais baratos, e se conter ao realizar compras no supermercado. Todas essas despesas podem ser cortadas sem tanto sofrimento.

Não compre por impulso

Quando for ao supermercado, shopping e lojas, não compre nenhum item sem planejamento. São essas compras desnecessárias que fazem o seu orçamento ir por água abaixo e prejudicam o seu padrão de vida. Então, veja algumas dicas para não cair na armadilha da compra por impulso:

  • analise seu orçamento antes de sair de casa;
  • pense duas vezes antes de comprar;
  • compre somente o que é necessário e não o que tem vontade;
  • fuja das “pegadinhas” comerciais;
  • aproveite as promoções;
  • procure formas de lazer que não envolvam o consumo.

Desapegue do que não usa

Com certeza você tem vários itens que não são mais utilizados e podem virar fontes de renda. Procure peças no seu guarda-roupa, eletrônicos, celulares, móveis, equipamentos esportivos, instrumentos musicais, entre outros. Faça realmente uma “limpa” na sua casa e no seu escritório. Depois, venda-os em sites e nos grupos do Facebook destinados a esse fim. Outra opção é procurar um bazar na sua cidade e doar alguns itens.

Não se compare com os outros

Manter o seu equilíbrio mental é muito importante nessas situações, uma vez que você já está fragilizado. Então, não compare sua vida com a do seu vizinho, amigo, familiar ou famoso. Essas comparações podem ser prejudiciais, pois geram competitividade e o sentimento de tristeza. Além disso, muitos deles vivem somente para aparentar um padrão de vida maior do que têm. Não perca sua tranquilidade com isso!

Como manter o padrão de vida?

Após passar por esse momento difícil, é preciso garantir a sua segurança financeira para o futuro. Confira algumas dicas que você pode seguir nesse sentido:

  • faça uma reserva financeira;
  • tenha um plano de previdência privada;
  • invista seu dinheiro;
  • não compre por impulso.

Concluindo, independentemente do seu padrão de vida, em algum momento você vai precisar reorganizar o orçamento e abrir mão de algumas coisas. Mantenha-se otimista, saiba que essa situação é temporária e não tenha vergonha. Aproveite para aprender a controlar suas finanças, aumentando sua receita e otimizando seus gastos.

Converse com seus amigos e familiares sobre como manter o seu padrão de vida e troquem dicas de como otimizar seu dinheiro. Compartilhe este conteúdo no seu Facebook, Instagram e/ou LinkedIn!

Sou fundador da Kitei, empresa que fundei em meados de 2016. Atuo na  direção de toda a área comercial, administrativa e financeira no cargo de Diretor Executivo. Tenho mais de 25 anos de experiência no mercado de cobrança e por meio de uma gestão inovadora, continuo a conduzir minha equipe para atuar no mercado financeiro com competitividade.

Escreva um comentário