Muitas pessoas têm essa dúvida: empresas podem dispensar candidatos de um processo seletivo porque eles têm o nome sujo? Embora elas desequilibrem bastante a vida da gente, a verdade é que seria muito incoerente se você não pudesse arranjar emprego quando tem dívidas. Afinal, como conseguiria pagá-las nesse caso?

A crença de que isso é “normal” acaba trazendo muito mais insegurança e prejudicando as pessoas que mais precisam. A fim de esclarecer essa questão e trazer as informações certas a respeito, preparamos este post. Que tal saber mais sobre? Continue conosco nesta leitura e fique por dentro do assunto!

É mais difícil conseguir emprego com o nome sujo?

Você certamente já ouviu falar de alguma empresa que dispensou o candidato à vaga porque ele tinha o nome sujo. Pois fique sabendo: empregadores não podem fazer isso. Mesmo que a pessoa tenha restrições nos órgãos de proteção ao crédito (SPC, Serasa etc.), isso não pode ser usado para desclassificá-la de nenhuma forma.

Quando uma empresa julga dessa forma, está categorizando uma pessoa como “menos merecedora”, atribuindo a ela uma carga negativa. Na realidade, ter dívidas não é nenhum sinal de que alguém é um mau elemento, e ter essa mentalidade é inadmissível. Portanto, se a empresa leva isso em consideração, está praticando uma ação discriminatória.

Independentemente de haver dívidas ou não em seu nome, você deve ter as mesmas chances e ser qualificado pelos mesmos critérios que os demais candidatos. O fato não deve ser um dificultador no seu processo. Sendo assim, não aceite caso isso aconteça com você e vá atrás dos seus direitos.

Como proceder se a empresa tiver essa má conduta?

Há duas situações em que é possível dispensar candidatos por terem seu nome sujo: empresas reguladas pelo Banco Central (instituições financeiras em geral), segundo consta na CLT, podem pesquisar se o seu nome está ou não sujo. Além disso, concursos públicos também podem usar esse critério caso esteja previsto no edital. Apenas.

Dito isso, nos outros casos você tem o direito de acionar a justiça caso a empresa desclassifique seu processo por conta de dívidas em atraso. Ao acionar a justiça por danos morais, a pessoa deve provar que houve de fato uma consulta aos órgãos de proteção ao crédito e que esse foi o motivo para a desclassificação. Testemunhas e gravações podem servir como prova.

Mantenha o foco

É claro que a situação é absurdamente injusta e constrangedora, mas para começo de conversa, uma empresa que julga dessa forma os candidatos, com práticas fora da lei, não é mesmo um bom lugar para se trabalhar. Concorda? Nesse cenário, nossa última dica é tentar manter o foco para que esse tipo de coisa não atrapalhe seus objetivos.

Conseguir um emprego é fundamental para se estabilizar, quitar as dívidas e até mesmo regularizar o nome sujo, mas o mais importante é que você não aceite um tratamento inadequado em função disso, nem se sinta menos merecedor ou algo assim. A partir do momento que a cabeça está no lugar, as oportunidades são melhor aproveitadas, e o resto se torna natural.

Pensando nisso, temos uma dica para você: leia sobre 3 maneiras de alcançar a estabilidade financeira!

Escreva um comentário