Atualmente, mais de 62 milhões de brasileiros têm alguma dívida, como aponta uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Os motivos são inúmeros, como explicaremos mais adiante.

Entretanto, ainda assim, o desejo do brasileiro de comprar bens como casas e carros permanece. Pensando nessas duas realidades, vamos mostrar neste post que é possível fazer um financiamento com nome sujo.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

Por que tantas pessoas estão com o nome sujo?

O número citado no começo deste artigo, 62 milhões de endividados no começo de 2019, é superior ao de todos os anos anteriores, um recorde histórico. Certamente, o desemprego e a crise econômica são os principais motivos para o aumento da inadimplência.

Porém, além do contexto econômico nacional, é preciso considerar outra causa para o alto índice de nomes sujos no mercado, o descontrole financeiro individual. Essa situação pode ser resultado de uma série de fatores:

  • excesso de compras;
  • parcelamento de compras e faturas;
  • esquecimento de datas de vencimento;
  • orçamento diminuído de forma repentina;
  • desemprego, entre outras situações.

Saber quais são os motivos para a desorganização financeira pode ajudar a resolver esse problema. Mas, enquanto se organiza, a pessoa pode alcançar algumas realizações, como veremos a seguir.

Financiamento com nome sujo é possível?

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, é possível fazer um financiamento mesmo com o nome sujo. Entretanto, é mais interessante realizar esse procedimento com o nome limpo por causa de dois fatores que trataremos nos próximos tópicos. Confira!

Entenda o que é o financiamento

O financiamento é o montante que uma instituição financeira empresta ao interessado para que ele possa realizar a compra de um bem — casa, carro, viagem etc. Porém, se aprovado, o valor não é repassado ao interessado, mas, sim, ao vendedor ou à instituição que está vendendo o bem. Funciona como uma compra à vista para quem está vendendo o bem.

Quando a venda é finalizada, os compradores começam a pagar para a instituição financeira, de forma parcelada e por um longo tempo, o montante que foi emprestado mais as taxas de juros.

Saiba que haverá verificação de crédito

Como você percebeu, o financiamento é uma modalidade de empréstimo. Logo, a instituição financeira que concederá o valor do bem fará uma consulta aos órgãos competentes para saber se o nome do interessado no financiamento está negativado e quais os hábitos financeiros dessa pessoa — contas atrasadas, chances de atrasar um pagamento, entre outros fatores que indicam saúde financeira.

Para evitar constrangimentos nesse momento, alguns recursos viáveis são:

  • realizar um empréstimo pessoal para pagar a dívida e, assim, ter seu nome limpo para fazer o financiamento;
  • solicitar um empréstimo para pagar o bem;
  • renegociar a dívida. Em uma renegociação, o devedor pode parcelar a dívida ou pagá-la com descontos.

Qual é o melhor caminho?

Ao longo deste artigo, você deve ter percebido que estar com o nome limpo ou renegociar as dívidas é extremamente mais interessante para fazer qualquer procedimento de aquisição de bens, em especial o financiamento.

E, ao contrário do que diz o senso comum, a questão do financiamento com nome sujo não gira em torno da consulta de crédito. O melhor caminho é se organizar financeiramente ou estar em um processo para isso. Isso vai garantir que a dívida do financiamento será honrada e evitar o efeito bola de neve, comum em endividamentos.

Se você gostou deste post sobre financiamento com nome sujo, então siga-nos nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter , LinkedIn e YouTube!

Escreva um comentário