O planejamento financeiro contribui para que as pessoas realizem os seus sonhos, ajuda a enfrentar imprevistos, como perda do emprego, acidentes e problemas de saúde, e evita que muitas famílias fiquem endividadas.

Viu só como é importante organizar suas finanças pessoais? Está interessado em saber mais sobre o assunto? Neste post, reunimos dicas que ajudarão você a se organizar financeiramente e destacamos os benefícios de administrar bem o dinheiro. Acompanhe!

Como organizar as finanças pessoais?

As principais dicas estão relacionadas a fatores como organização, planejamento e disciplina. Confira, nos próximos tópicos, as práticas essenciais para organizar as finanças pessoais.

1. Analise os rendimentos e despesas mensais

Essa é a primeira etapa que ajudará a controlar as finanças e descobrir como você usa o seu dinheiro. Para isso, analise o quanto você ganha e registre, mensalmente, todos os gastos — incluindo despesas com alimentação, saúde, conta de luz, internet, água etc.). Esse controle pode ser realizado em uma planilha, aplicativo ou até mesmo em papel.

Por meio dessa análise será possível identificar as prioridades no seu orçamento e as despesas desnecessárias ou supérfluas, que devem ser eliminadas da sua vida financeira.

2. Corte os gastos desnecessários

Se as suas despesas estiverem ultrapassando as suas receitas, analise criteriosamente o orçamento e verifique quais cortes você pode realizar. Reduza os gastos em áreas que não sejam tão essenciais, como, entretenimento e lazer. Priorize atividades que sejam gratuitas ou mais baratas.

Evite também o consumismo e as compras por impulso. Antes de gastar o seu dinheiro, verifique se aquele item que deseja adquirir é realmente necessário e se o valor caberá no seu orçamento doméstico.

Uma boa maneira de controlar esse impulso é fazer listas. Toda vez que for comprar algo, anote tudo o que precisa e só compre aquilo que estiver escrito no papel. Isso evitará que você adquira o que não precisa e, consequentemente, ajudará a economizar dinheiro.

3. Crie uma reserva financeira

Criar uma reserva de emergência é fundamental para garantir um maior controle das finanças. Essa quantia deve ser utilizada para lidar com imprevistos, como perda do emprego, acidentes, despesas com saúde, viagens emergenciais etc.

A grande vantagem dessa estratégia é não ter que recorrer a empréstimos (e arcar com juros) quando precisar enfrentar tais emergências. Portanto, defina uma parcela da sua renda para ser guardada todos os meses. Poupe, pelo menos, 10% dos seus ganhos com o intuito de garantir maior segurança financeira.

4. Priorize compras à vista

Procure sempre adquirir produtos e serviços à vista. Dessa forma, você evita cair em armadilhas financeiras. Pessoas que adquirem itens a prazo com frequência têm dificuldades de quitar todas as contas e entram facilmente em dívidas.

Por outro lado, consumidores que priorizam compras à vista ficam mais tranquilos e têm menos dores de cabeça em relação às finanças, pois não precisam lidar com inúmeras contas todos os meses.

Quais são os benefícios de ter um bom controle financeiro?

Aqueles que fazem uma boa gestão do dinheiro conseguem se planejar, estabelecer metas e alcançar objetivos. Além disso, quem controla as finanças consegue lidar melhor com imprevistos, evita dívidas e tem um futuro mais tranquilo.

O controle do orçamento doméstico garante mais liberdade nas escolhas e facilita a realização de sonhos. Indivíduos que sabem administrar sua renda mensal têm um consumo saudável e equilibrado, e não ficam endividados.

Agora que você já sabe como administrar as finanças pessoais e entendeu a importância de ter uma reserva para emergências, leia o nosso post sobre como poupar dinheiro!

Escreva um comentário